site de namoro, encontros

cadastro login

menu
Compartilhe amores possíveis
Compartilhe amores possíveis
Compartilhe amores possíveis
Compartilhe amores possíveis
Compartilhe amores possíveis

Os olhares do outro

Matéria postada por Éric Elie'l
Data da Matéria 8 comentário(s)


Esses dias li a publicação de uma colega. Cheia de ressentimentos, ela dizia que quando há amor, o outro não olha, não pensa, não conversa com outras pessoas e não faz você sentir ciúmes. Mas vamos combinar? Isso não tem nada a ver com amor, mas sim, com anulação.

A gente não pode carregar a pretensão de ser o universo inteiro de alguém e nem exigir que esse alguém viva em estado vegetativo por conta de uma relação. Não podemos nos comportar como se vivêssemos em um cenário pós-apocalíptico onde a gente é o ser humano e o outro um zumbi que somente tem olhos para nós e nos persegue até nos devorar.


Em uma relação real, vai haver flerte, em algum momento um dos dois, ou os dois, trocarão olhares com transeuntes, verão atributos que chamam a atenção e mexem com fetiches ou desejos inoportunos e, quando isso acontecer, não é o outro que está provocando ciúmes, somos nós que estamos sentindo, é mais ou menos aquela história: “não importa o que fazem com você, mas o que você faz daquilo que fazem com você”. Se houver a noção de que se trata de outro ser humano, que carrega um universo de anseios, desejos, faltas e inadequações, relacionar-se será mais fácil.

Sentir ciúmes te incomoda? Trabalhe a situação, descubra coisas que tem sintonia com você e foque nelas, atuar como o eixo estrutural da vida do outro é pesado demais. Legal mesmo é descobrir que apesar dos olhares, dos desejos e de todas as pessoas bacanas e interessantes que existem por aí, aquela pessoa voltou os olhos para você e te olhou vagarosamente enquanto todos os outros que também flertaram contigo te olharam depressa demais.

Permita-se olhar e descobrir o poder revigorante de sentir-se desejável e reconheça os seus princípios, saiba o que tem construído dentro de uma relação, mas não se engesse a ela, você é um ser legal demais para exigir que o outro se anule e, por senso de recíproca, ter que se anular também. Quando a dinâmica acontece às claras até aquela comichão pelo “proibido” que alguns dizem sentir, diminui.

Há que se estar por que quer e não por coação, há que se amar por todas as dimensões que o outro pode ser sem esquecer que ao se tratar de outra pessoa estamos também tratando de descobertas, inaptidões, desejos contidos. Há que se entender que a permanência é livre, assim como os olhares e os pensamentos e que se nesse emaranhado que é o outro a gente se perder ou não identificar sintonia, podemos deixar dele e focar no que tem sintonia com a gente, sem agredir.

Isso não quer dizer que não haverá ferimentos, ou dores e cicatrizes, relações vivem as voltas com o morde e assopra, não há desconstrução que dê conta da montanha-russa que são dois seres que decidem levar uma vida em comum, não há fórmula, descobrimos com o tempo a melhor forma de reger uma relação, mas temos que romper com a ideia de ser toda a estrutura universal do outro, não podemos exigir mordaças, censura de pensamentos e o destino dos olhares.

Ser toda a base, o destino de todas as vasões, o amigo para todos os papos, o confidente para todos os segredos, o amante de todos os fetiches, o psicólogo para todas as faltas, enfim, ser o sol do universo que é o outro, pode soar poético, mas na prática com certeza é pesado demais. Será que temos condições de lidar com toda a crueza de detalhes que o outro é?

Éric Elie'l , Catarinense, 26 anos, estudante de marketing e apaixonado por tudo que possa tornar a existência mais leve. Observador, gosta de todas as coisas que dizem respeito ao comportamento humano, se interessa por opostos e por dissecar experiências, para extrair não só o que é dito, mas também o que está subentendido. Gosta de avaliar as circunstâncias sob outro ponto de vista, e acredita que escrever é de certa forma materializar o campo de sensações que são as experiências de vida.

10 matérias escritas para o amores possíveis

comentários:


lealdade# - 13/01/2019 14:15:59
Verdadeiro, parabéns!!!

Viviane - 09/01/2019 20:30:14
Vdd...gostei bastante e aprendi tbm obrigada e parabéns

Gorduch@ GGG - 06/01/2019 12:45:01
Amei !!!

Natasha - 04/01/2019 23:48:37
Top

Lih - 03/01/2019 04:14:23
Com apenas 26 anos vc tem muito mais maturidade sentimental que muita gente de mais idade. Ficar no meio termo, entre a paixão obcecada e o aparente desinteresse pode ser o que torna uma relação saudável. Infelizmente hj, com tantas notícias de crimes passionais praticados por um dos parceiros onde o motivador é o ciúme doentio e/ou a incapacidade de aceitar o fim de um relacionamento, nos deixa até frustrados para conhecer novas pessoas e o sininho de alerta do medo cria vida própria. Ciúme moderado é até saudável, desinteresse demais gera dúvidas. Pena que muitos de nós não consiga atingir um comportamento não prejudicial à relação, ao outro e a si.

Binhoo - 31/12/2018 08:49:59
Parabens Éric, um comentário de quem está pleno na vida, tem visão, tem ação e ao mesmo tempo conselhos e estímulos q ajudam mta gnt a enxergar o que não estão vendo.. Meus parabéns!!

Morena 46 - 31/12/2018 06:55:54
Matéria recheada de verdades... O problema eh que não descobrimos com antecedência e muitaa vezes, tardio demais!!! Parabéns garoto pelo brilhante texto!

Eva - 30/12/2018 18:29:56
Amei esse texto. Tem uma música do Raul que estou com dúvidas se é de sua autoria, Maçã, que fala sobre isso. Amor só dura em liberdade, o ciúme é só vaidade.



Para enviar um comentário, é necessário cadastrar-se.


17 anos de sucesso

compartilhe
Compartilhe amores possíveis
Compartilhe amores possíveis
Compartilhe amores possíveis
Compartilhe amores possíveis
Compartilhe amores possíveis


matérias sobre relacionamento
os olhares do outro (8)
simplicidade, cadê? (29)
vilões da existência (26)
amputações (39)
sofrimento, como lidar com ele? (28)
precisamos falar sobre o fim (37)
abra a janela (53)
o intolerável da vida (18)
a vontade sob controle (33)
nascemos para dar certo! (78)
ver +


mais...
por que me cadastrar?
contato
publicidade
termos de uso
mapa do site


© 2002-2019 amores possíveis.
Todos os direitos reservados - v2.3.0